13.3.09

coisas e seres


uma coisa é o que sou
outra é o que os outros entendem de mim

se eu ser eu mesmo
e mostrar ser outro,
serei outro para os outros
mesmo sendo eu mesmo

to cansado dessa estética
mas por vezes ainda faço

algumas coisas acontecem
de uma hora pra outra
outras à noite
outras ontem

6 comentários:

Rafaela disse...

Gosto dos teus poemas. Das reflexões que ele nos causa. :)

Márcio B. S. disse...

Bem filosófico! Por vezes é necessário essas personas para convivermos no mundo, o importante é nunca se esquecer quem vc é.

bruno nobru disse...

não sou muito chegado a ideia de que somos isso ou aquilo, a gente fica tentando acreditar que é algo e se esquece que a vida muda e que a gente muda seja por sentido próprio ou alheio, mas nossa condição nos coloca como produtos na vitrine, como coisas a serem vistas e julgadas, e não como vida e movimento, as vistas dos outros não sou o que sou e sim o que eles enxergam

Catherine Castanho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Catherine Castanho disse...

Também concordo que acabamos rotulados e se rotulando demais, o que somos talvez jamais venha a se revelar de fato, pois como disse o Bruno, as mudanças são muito rápidas. A única coisa imutável.
Acho que "ser" é muito momentâneo, talvez não caiba em explicações ou palavras, apenas sente-se.
Belo poema...

bruno nobru disse...

tambem prefiro sentir..
deixar a brisa brisar e o tempo temperar, sem me negar
como dizia heraclito a unica coisa que permanece é a mudança..