27.9.09

a experiência da existência

a realidade se apresenta como um conglomerado de imagens, sons, movimentos, percepções e sensações, onde nos relacionamos com interpretação e inter-relação.. com freqüência misturamos elementos de alguns movimentos e espaços aos outros e, ao tentar perceber, as coisas parecem um tanto nubladas.. aos poucos vamos nos dando conta da diferença entre uma coisa e outra, entre uns e outros..

algumas parecem muito reais, com freqüência são simulacros, reflexos de uma sociedade visual hipócrita, que nos geram expectativas de sensações.. e assim nos criamos a nós mesmos - nas inter-relações entre os modos de vida e os modos de subjetividade - como devemos ser, agir e sentir.. criamos um mundo extenso, estabelecendo conexões e distanciamentos, e o que sentimos é muito real.. a experiência da existência.

4 comentários:

Hermano-Uno disse...

acho que a percepção é a função mais falseavel de toda a nossa cognição, vide diversas ilusões perceptuais e confusões auditivas. Muitos falavam disso, niesztche, fernando pessoa, gregos e troianos. A questão é, nos conformamos as ilusões que sfremos e que somos forçados a ingolir ouuuu vamos cok]mbate-la...??
e como combate-la!!!

Nocivo disse...

Confesso que fiquei com medo de nossas palavras estarem caindo no mundo comum, tenho versos assim:

"Cada gota riscada é tradução
De imagens, sons, delírios e tormentos"

Achei legal dizer que o que sentimos é real, já que o racionalismo quer dizer outra coisa... Na prática só podemos sentir algum gota de realidade em algum lugar. Boa reflexão.

bruno nobru disse...

Hermano-Uno, me faz muito sentido o que comentou, ando procurando meios de me relacionar de modo saudável com essas "ilusões perceptuais", partindo do que é saudável para mim..

bruno nobru disse...

Nocivo, me parece real o que sinto, mas é tão confuso ao tentar descrevê-lo, o segundo momento da percepção e o da interpretação já o transforma um pouco mais e vou deixando digerir aos poucos.. como respirar ao caminhar..