13.11.09

barreiras e fluxos do devir

uma grande barreira ao relacionarmos com os outros
está no julgamento que fazemos do outro por base distante,
de nossa vida - tão particular e singela..
(([o outro é o outro, são diferentes possibilidades de ser]))

que se libertem as neuroses e se perca a noção de 'eu'
vivendo os fluxos do devir, tão vivo quanto um animal

3 comentários:

Nydia Bonetti disse...

tão pequeno meu horizonte
tão limitado...

tenho um poema que começa assim, me lembrei dele agora. acho que nunca postei, vou procurá-lo.

gostei destes "fluxos do devir". muito bom.

Abraços!

Erika M. disse...

E a gente acaba se perguntando, para quê servem os julgamentos e essas barreiras inúteis?
"Que se libertem as neuroses"

=]

bruno nobru disse...

valeu Nydia, se encontra-lo passe fiquei curioso em ler..
que libertem mesmo as neuroses, Erika.. elas atrapalham mesmo as relações..